jump to navigation

Mito e Verdade sobre gordura 5 de Abril de 2009

Posted by Geraldo Neto in Alimentação, Alimentos Funcionais, Dicas, Hipertensão, Mitos e Verdades, Obesidade, Stress.
add a comment

Mito – Todas as gorduras fazem mal para você

Nós todos sabemos que consumir gordura saturada em demasia pode levar a um aumento nos níveis de colesterol no corpo, provocando um efeito adverso na saúde coronária. As gorduras trans também podem elevar os níveis de colesterol e é aconselhável evitar alimentos ricos nessas gorduras – como fast food, comidas para viagem e biscoitos.

Verdade: Alguns gorduras fazem bem

De fato, algumas gorduras fazem bem à saúde. Gordura monoinsaturada e gordura poliinsaturada são consideradas gorduras ‘boas’. Gordura monoinsaturada é encontrada em alimentos como abacate, azeite de oliva, óleo de canola e nozes. Gordura poliinsaturada é encontrada em óleos vegetais como os de girassol, milho, açafrão, algumas margarinas e em maioneses. Também é encontrada em linhaça, óleo de linhaça, óleo de canola, nogueiras e certos vegetais verdes e frondosos. Peixes oleosos como bonito, truta, salmão, sardinha e arenque também são fontes ricas em gordura poliinsaturada.

Mito: Os produtos mais ‘light’ sempre são melhores para você

De maneira geral, quanto mais dura a gordura à temperatura ambiente, maior o conteúdo de gordura saturada, como por exemplos banha, manteiga e queijo. Portanto, é melhor evitar consumir esses produtos em grandes quantidades.

Mito: Somente os mais velhos precisam se preocupar com a saúde coronária.

Se você consumir gordura “ruim” em demasia, a tendência é produzir mais colesterol do que seu corpo precisa. Colesterol é uma gordura produzida por nosso corpo. É necessário para o correto funcionamento do corpo e para a criação de certas vitaminas e hormônios. No entanto, se tivermos colesterol demais no corpo, este poderá se acumular nas artérias em torno do coração e afetar nossa saúde coronária. Especialistas acreditam que isso pode até acontecer com crianças a partir da idade de dois anos.

Anúncios

Coração, o motor da vida 5 de Abril de 2009

Posted by Geraldo Neto in Dicas, Hipertensão, Sinais e Sintomas, Stress.
add a comment

Com coisa séria não se brinca. E, no que diz respeito às pessoas, um dos principais exemplos é o coração. É impossível atravessar a vida sem a certeza de que esta parte fundamental esteja sendo bem cuidada.

As pessoas, de fato, tendem a “esquecer” do órgão e acabam tendo problemas que, do mesmo jeito, passam despercebidos. “As doenças cardiovasculares mais comuns, que são a hipertensão arterial e a doença arterial coronariana, são silenciosas na maioria dos pacientes”, alerta o cardiologista José Kawazoe Lazzoli, especialista em Medicina do Esporte pela Sociedade Brasileira de Medicina do Exercício e do Esporte (SBME).

Evitando problemas

Os maiores erros, no que diz respeito ao coração, estão ligados a fatores da vida moderna, afirma o cardiologista. Questões como: “estresse, alimentação incorreta, falta de exercícios físicos e aumento de peso. Isso, sem falar na falta de controle das taxas de açúcar (glicose) e colesterol no sangue, dos níveis de pressão arterial, e nos hábitos inadequados, como o fumo”, completa.

E até o inofensivo sono, quem diria, muitas vezes, significa problemas. Pesquisa recente mostrou que dormir demais ou de menos pode ser prejudicial para o coração. “A quantidade ideal de sono é muito variável de um indivíduo para o outro. Dormir bem é muito importante, pois um período de repouso é fundamental para a recuperação do organismo. A prática de exercícios também ajuda a regular o sono”, diz Lazzoli.

Sem sedentarismo

Os cuidados e a conscientização em relação ao coração devem começar desde cedo, obrigação de pais para filhos. “As crianças devem ser educadas a se alimentarem de forma saudável, a cuidarem da saúde e a adotarem formas ativas de lazer e brincadeiras, dando preferência para atividades físicas em vez de formas do lazer mais parado, como televisão, filmes e jogos de computador”, orienta o cardiologista.
O sedentarismo é, de fato, uma das maiores preocupações de especialistas quando se fala em saúde do coração. “É tão perigoso quanto fumar e não controlar a pressão alta ou o colesterol”, afirma Lazzoli. O médico incentiva a mudança: “uma atitude positiva na vida é benéfica e sempre ajuda”.
Deixar de ser sedentário não é nada difícil. “Quando o objetivo é saúde, as pessoas podem se dar ao luxo de escolher as atividades que mais gostam”, diz o especialista. “Mas, quem está sedentário há muito tempo deve começar a praticar exercícios após uma avaliação médica e sob orientação de um profissional de educação física”, completa.

Comendo direito

Por fim, cuidar bem do coração significa ter uma alimentação adequada. Lazzoli recomenda a Dieta Mediterrânea, que contém:

• Vegetais à vontade, frutas frescas, saladas e alho;
• Óleos vegetais, incluindo oliva e canola;
• Cereais integrais;
• Peixes;
• Pouco sal.

Alimentação, exercícios, distância do estresse, sono regulado, são todos fatores do dia-a-dia e que podem ser facilmente controlados em benefício do coração. “Lembro-me de uma frase que li em certa ocasião, que dizia: ‘Se eu não cuidar do meu corpo, onde é que vou viver?’. E, no que diz respeito ao coração é assim, a melhor estratégia é a prevenção”, finaliza o cardiologista.

Afinal, o que é pressão sanguínea? 5 de Abril de 2009

Posted by Geraldo Neto in Hipertensão, Sinais e Sintomas, Stress.
add a comment

Muito se ouve falar sobre a pressão sanguínea, ou pressão arterial, mas, ainda assim, o conceito não é claro para todos. Trata-se do resultado dos batimentos do coração e da contração dos vasos por onde o sangue passa. Quando o sangue atravessa as artérias, os movimentos feitos o empurram para frente como se o estivessem espremendo. Assim, o sangue circula pelo corpo e consegue chegar às extremidades, como os dedos do pé.

Quando a pressão sai do normal

Se, por um lado, as pessoas não costumam saber o que é a pressão arterial, por outro, é normal que saibam quando sua medição está em um nível considerado normal. “Hoje, sabemos que o ideal é abaixo de 12 por 8. Começamos a ter critérios de pressão alta acima de 12,5 por 8,5 ou 13 por 8,5. Isso já é hipertensão arterial”, explica Knobel.

Cabe, aqui, outra explicação: hipertensão e pressão alta são denominações para um mesmo problema, que pode ser causado por duas situações. “A enorme maioria dos casos é o que chamamos de hipertensão essencial, que é aquela sem causa definida ligada ao organismo. Um pequeno número é devido a problemas cardíacos, renais, das artérias renais, da aorta. Tudo isso ajuda a levar à hipertensão”, afirma o cardiologista.

Quanto aos principais fatores de risco, Knobel cita: alimentação com muito sal e fritura, obesidade, colesterol alto e fatores genéticos e diabetes, sem deixar de lado o estresse. “Muitas pessoas têm hipertensão puramente relacionada a essa questão”, afirma.

Não se deixe enganar pela idade

Problemas de pressão são mais uma daquelas doenças atribuídas apenas a pessoas de mais idade. A realidade, porém, está longe disso. “Tenho muitos pacientes jovens, de 15, 16 anos, que já têm pressão alta. O próprio pediatra, em exames de crianças, deve avaliar se existem doenças congênitas que levam à pressão mais elevada”, alerta Knobel.

O especialista chama a atenção para a importância dessa questão, mesmo que a sua ocorrência seja mais rara nessa faixa etária. Isso porque os jovens não se esforçam para evitar os fatores de risco. “A maioria come alimentos muito salgados, fritura, tudo que faz mal para o coração”, observa o cardiologista.

Existe, porém, uma idade em que o problema se manifesta com maior freqüência. “É preciso analisar os outros fatores de risco: pessoa com colesterol muito alto, diabetes, histórico familiar de doença no coração, aí há uma manifestação mais precoce. Pessoas hipertensas não têm eventos relacionados ao coração muito cedo. Às vezes, o problema só ocorre na faixa dos 35, 40 anos”, alerta Knobel.

Aprenda a controlar a pressão

Para evitar problemas com a pressão arterial, é preciso atenção, principalmente, com a alimentação. “Uma série de estudos mostra que peixes que oferecem ômega-3 promovem dilatação dos vasos, ajudando a baixar a pressão; pesquisas indicam que o chocolate amargo pode ajudar, assim como o café também pode ter relação com essa questão”, explica o especialista.

A lista de “afazeres da saúde” não pára por aí. “Atividade física é fundamental, assim como diminuir o estresse e emagrecer. Todos esses fatores ajudam muito a fazer o controle da pressão”, orienta o cardiologista.

Quem sofre com pressão alta, mas a tem sob controle, deve fazer exames de medição uma vez por mês, para acompanhar a situação. Existem aparelhos portáteis, que podem ser usados em casa. “O grande problema é quem não tem a pressão controlada. Aí, uma vez por semana, deve-se fazer uma avaliação. O mais importante é começar a controlar e, a partir daí, fazer a manutenção”, conclui Knobel.

Quando esse sistema todo não funciona direito, as conseqüências para o organismo são graves. O cardiologista Marcos Knobel, do Hospital Israelita Albert Einstein e coordenador do Selo de Aprovação da Sociedade Brasileira de Cardiologia, explica que há risco de agravamento de problemas coronários,  infarto, derrame e, se a situação durar muitos anos, há possibilidade de insuficiência cardíaca.

Falta de Exercício é o Desafio da Saúde Pública Mundial 5 de Abril de 2009

Posted by Geraldo Neto in Atividade Físicas, Diabetes, Hipertensão, Stress.
add a comment

O pesquisador americano Steven Blair, do Departamento de Ciência do Exercício e Bioestatística da Universidade da Carolina do Sul (EUA), publicou recentemente um artigo em que alerta que a inatividade encabeça a lista dos inimigos da saúde.

Meia hora de exercícios físicos por dia e uma alimentação saudável para reduzir os riscos de doenças crônicas como o diabetes, a hipertensão e o câncer.

%d bloggers like this: