jump to navigation

O que é Medicina Ortomolecular? 12 de Maio de 2009

Posted by Geraldo Neto in Ortomolecular.
add a comment

A expressão Medicina Ortomolecular (moléculas certas, equilibradas) foi criada no início dos anos 60 pelo cientista americano Linnus Pauling, laureado duas vezes com o Prêmio Nobel.

Para Pauling, as doenças surgem de desequilíbrios bioquímicos no organismo e devem ser tratadas com as moléculas corretas, isto é,do próprio metabolismo.

Um exemplo fácil de entender:

Se tivermos deficiência de ferro no organismo, podemos ter uma doença chamada anemia ferropriva. Esta pode manifestar-se por cansaço, depressão, queda de cabelos, por exemplo. Um indivíduo com anemia que apresente esses sintomas, pode ser tratado com “fortificantes”, antidepressivos, xampu para queda de cabelos, que podem melhorar os sintomas, e por isso são importantes,  mas a cura será obtida quando receber o tratamento com a “molécula correta”, o ferro. Nenhum outro tratamento poderá substituir o ferro, pois esse é um elemento essencial.

Para o perfeito equilíbrio do nosso metabolismo, a máquina humana necessita de aproximadamente 50 elementos essenciais:

  • oxigênio,
  • água;
  • 13 vitaminas;
  • 8 aminoácidos;
  • 20 minerais e
  • 2 ácidos graxos, que devemos adquirir de uma alimentação saudável.

Além desse exemplo clássico de doença carencial, a deficiência de nutrientes pode levar a progressiva perda da memória, que pode evoluir para a doença de Alzheimer ou mesmo uma obstrução de artéria coronária, causado, por exemplo, pela elevação da homocisteína no sangue.

Atualmente existem campanhas em todo mundo para suplementar mulheres em idade fértil com vitaminas do complexo B, principalmente o ácido fólico (vitamina B-9) para prevenir o nascimento de crianças com defeito do tubo neural. Estudos têm mostrado que essa suplementação oferece proteção às crianças não somente de nascerem com defeitos do tubo neural, mas também protege contra doenças cardíacas, do trato urinário, fendas orais e mesmo “mongolismo”. E, para a mãe, parece proteger contra pré-eclâmpsia e eclâmpsia, doença grave que se manifesta principalmente por elevação da pressão arterial da gestante.

A medicina ortomolecular visa a corrigir os desequilíbrios bioquímicos através de orientação nutricional e pela prescrição de suplementos, proporcionando assim, suporte básico para que cada indivíduo possa desfrutar em plenitude o seu potencial genético.

*Obs: A Medicina Ortomolecular não é uma especialidade médica. No Brasil, o Conselho Federal de Medicina regulamentou a Medicina Ortomolecular com a denominação “Prática Ortomolecular” (Resolução 1500/98)

Por: Dr. Paulo Edson

Anúncios

A DESINTOXICAÇÃO ALIMENTAR 12 de Maio de 2009

Posted by Geraldo Neto in Alimentação, Alimentos Funcionais, Dicas, Stress.
1 comment so far

Sempre é salutar aliviar o organismo de a sobrecarga alimentar. A energia normalmente consumida para realizar a digestão de alimentos pesados servirá então para realizar uma limpeza e uma regeneração do corpo físico. Os produtos da natureza (frutas, hortaliças, ervas e sementes) são os alimentos que exigem o menor trabalho digestivo.

Além disso, são dotados de extraordinárias propriedades despoluidoras, ou seja, depurativas. Sua riqueza em fibras assegura uma verdadeira “faxina” no tubo digestivo, levando embora, junto com as fezes, uma grande quantidade de toxinas e resíduos.

Graças a seu elevado teor de vitaminas, sais minerais, oligoelementos, enzimas e substâncias biologicamente ativas de todo tipo, os vegetais fornecem aos órgãos de eliminação os elementos de que necessitam para funcionar plena e perfeitamente. Além disso, quando consumidos crus, fornecem ao corpo uma água cheia de vitalidade.

A maioria das hortaliças demanda calorias ao se deslocarem de uma extremidade à outra do tubo digestivo. Na realidade, para digeri-las, o organismo queima mais calorias do que recebe. Isso gera um balanço calórico negativo, provocando uma perda de peso por combustão das gorduras em excesso.

No livro Você sabe se desintoxicar (Dr. Soleil – Ed. Paulus) os alimentos estão classificados em quatro categorias, de acordo com o seu grau de VITALIDADE.

Acho este conceito de extrema sabedoria, e toda vez que acesso um esclarecimento de forma tão clara e objetiva, não resisto, compartilho imediatamente:

1) Alimentos que GERAM VIDA – chamados BIOGÊNICOS

São a base ideal da alimentação, usando um ponto de vista qualitativo. São os germes e os brotos dos grãos, dos cereais, das leguminosas, das ervas e das hortaliças.
Germes e brotos são as plantas no início de seu crescimento, portanto extremamente ricas em substâncias chamadas de micronutrientes. (São as vitaminas, sais minerais, oligoelementos, aminoácidos, enzimas, hormônios vegetais, estimulantes biológicos, etc.).
Ao ingerirmos esse tipo de alimento crus e frescos eles irão reforçar a vitalidade das células e permitir que elas se regenerem constantemente.

2) Alimentos que ATIVAM A VIDA – chamados BIOATIVOS

São a base ideal da nossa alimentação do ponto de vista quantitativo. São as frutas, ervas, hortaliças, leguminosas, nozes (sementes oleaginosas), os bagos, grãos e cereais que já estão maduros e são consumidos em perfeito estado, crus ou deixados de molho.

Os alimentos que geram a vida, e os alimentos que ativam a vida são considerados ALIMENTOS VIVOS. Foram previstos pela natureza para assegurar a vida e o bem estar do ser humano. Seu consumo traz vitalidade e saúde em qualquer idade.

3) Alimentos que DIMINUEM A VIDA – chamados BIOESTÁTICOS

São os alimentos cuja força vital foi reduzida pelo tempo (alimentos crus armazenados por muito tempo), pelo frio (refrigeração e congelamento) ou pelo calor (cozimento). Estão inclusos aqui as carnes, o leite e derivados e os ovos.
O consumo de alimentos bioestáticos é o resultado de hábitos sociais. Seu consumo assegura o funcionamento mínimo de nosso organismo, mas provoca o envelhecimento das células, pois não lhes fornece as substâncias vivas necessárias para sua saudável regeneração.

4) Alimentos que DESTROEM A VIDA – chamados BIOCÍDICOS

São os alimentos que predominam na alimentação moderna. São todos os alimentos cuja força vital foi destruída pelos processos físicos ou químicos de refino, conservação ou preparo.
Os alimentos biocídicos foram inventados pelo homem para sua própria perda. Ganham em praticidade, perdem em qualidade. Ganham em prazer, perdem em saúde.
Falamos do açúcar, principalmente o refinado, sal, chá preto, café, chocolate, bebidas alcoólicas, frituras, alimentos industrializados e aditivados, margarina e óleos refinados.
Envenenam pouco a pouco as células com as substâncias nocivas que contêm. É preciso saber que, mesmo em pequenas doses, qualquer produto químico adicionado aos alimentos é tóxico.
Os processos agrícolas modernos e a industrialização introduzem no organismo substâncias que paralisam o instinto alimentar, perturba a assimilação e bloqueiam a eliminação. Enfraquecem pouco a pouco o sistema imunológico, causam vários problemas de saúde e abrem portas às chamadas doenças da civilização: doenças cardiovasculares, câncer, reumatismo, diabetes e outras doenças degenerativas e doenças mentais.

RESUMINDO:
ALIMENTOS DE ALTA VITALIDADE
São os alimentos usados na prática da Alimentação Desintoxicante. São fáceis de digerir e apóiam os mecanismos de desintoxicação do corpo: BIOGÊNICOS (geram vida) + BIOATIVOS (ativam a vida).

ALIMENTOS DE BAIXA VITALIDADE
Exigem do organismo grande esforço para serem digeridos, intoxicam e entopem o organismo: Bioestáticos (diminuem a vida) + Biocídicos (destroem a vida).

Por: Dr. Paulo Edson

Razões para desintoxicar-se e a vitalidade dos alimentos 12 de Maio de 2009

Posted by Geraldo Neto in Alimentação, Alimentos Funcionais, Dicas, Stress.
add a comment

Aprendendo a nos desintoxicar descobriremos os segredos da saúde plena, a prevenir doenças e a evitar os estimulantes artificiais, que mascaram tudo com a falsa idéia de gerar prazer.

Quanto melhor nos sentimos, mais procuramos meios naturais para nos equilibrarmos (sol, água, alimentos vivos, atividade física, lazer, respiração, etc.). Recorrer às drogas que causam dependência e arruínam a saúde não pode ser considerada uma atitude espiritual ou sábia.

Quanto mais intoxicados estamos, mais precisamos de estimulantes – cada vez mais fortes – para “manter” o equilíbrio. Qualquer desequilíbrio em nosso corpo físico muda nossa disposição e provoca distúrbios emocionais. Qualquer emoção provoca uma descarga de adrenalina no sangue como reação ao estresse. Isso cria um bloqueio das funções de eliminação do corpo, elevando o nível de intoxicação e agravando os distúrbios emocionais.

Esse círculo vicioso é interrompido assim que usamos um processo de desintoxicação, precioso meio preventivo e curativo de numerosos desequilíbrios psíquicos.

Muitos distúrbios, que à primeira vista parecem ter apenas causas psicológicas, são transformados pelos processos físicos de limpeza do organismo. A cura de diversas doenças psiquiátricas graves, freqüentemente consideradas incuráveis, mostra isso.

Qualquer intoxicação do corpo e, qualquer distúrbio emocional provoca uma diminuição das funções cerebrais. Todo mundo sabe como é difícil raciocinar com clareza após uma refeição pesada.

Descobrir o efeito positivo da desintoxicação sobre as faculdades mentais é apaixonante. A concentração, a memória, a capacidade criativa e intuitiva ficam extraordinariamente aguçadas.

Eu sempre afirmo: intestino preso e corpo intoxicado “emburrecem”. Em contrapartida, um corpo desintoxicado fica mais criativo e inteligente. E para fechar, um corpo limpo gera uma harmonia que sinaliza no mínimo saúde.

Todas as grandes religiões da história instituíram períodos de descanso do organismo (Shabat, Ramadã, Quaresma, jejum ritual), para assegurar a boa condição física durante o ano e criar momentos privilegiados para a vida espiritual.

As técnicas de desintoxicação são instrumentos valiosos para nos libertarmos do condicionamento educacional, dos hábitos sociais nocivos para a saúde, das emoções desequilibradas, dos preconceitos e da intolerância.

A experiência individual é insubstituível quando se trata de aprender, sem fanatismo, a manter a forma física, a equilibrar a vida emocional, a ampliar nossa consciência espiritual. Os hábitos agradáveis, a refeição saborosa e os pequenos prazeres não devem ser obrigatoriamente abolidos para sempre. Não há como obter saúde com atitudes de disciplina espartana, mas sim por uma sucessão de adaptações sábia.

Por: Dr. Paulo Edson

DEIXE SAIR – FORA COM O VELHO – VIVA O NOVO 12 de Maio de 2009

Posted by Geraldo Neto in Alimentação, Alimentos Funcionais, Dicas, Mitos e Verdades, Stress.
add a comment

A desintoxicação é uma limpeza completa, significa acessar cada cantinho do corpo, inclusive os emocionais e as caixinhas guardadas nos cantinhos. Significa expor e jogar fora tudo o que não serve mais. Significa entrar, limpar e clarear nosso Ser para dar espaço ao novo, fresco e saudável.

As maiorias das mudanças que tentamos fazer na vida começam de fora, e procuram abrir espaço para dentro. Um novo trabalho que paga mais e esperamos que ele melhore nossa auto-estima. Um novo relacionamento é emocionante e esperamos que nos dê uma vida mais plena.

A desintoxicação é algo diferente. Ela opera de dentro para fora, ajudando-nos a nos conectar com nosso centro. Como se não bastasse, algo mais incrível começa a acontecer quando nos desintoxicamos mais profundamente. Quanto mais saudáveis e vivos nos sentimos por dentro, tanto mais nosso “exterior” começa a refletir estes sentimentos.

Um processo de limpeza que se inicie em nosso âmago, mostra-se também na superfície. Tudo começa a mudar. À medida que eliminamos do corpo as toxinas acumuladas (por anos), também começamos a limpar nossos velhos hábitos de pensar, relacionarem-se, padrões, opções, dores, raivas e medos. Enfim, todas as coisas armazenadas e que não têm utilidade para o crescer. Estaremos continuamente nos purificando.

Por: Dr. Paulo Edson

Alguma dessas coisas lhe diz respeito? 12 de Maio de 2009

Posted by Geraldo Neto in Alimentação, Alimentos Funcionais, Dicas, Mitos e Verdades, Stress.
add a comment

– Quero mais energia. Estar bem disposta o tempo todo.
– Quero que minha vida me dê forças, quero me sentir todos os dias animada.
– Quero começar uma alimentação saudável e mudar a forma de como me alimento.
– Quero ser mais cuidadosa com meu corpo, ser disciplinada.
– Quero ter mais controle, tomar as decisões que acredito serem as melhores para minha evolução.
– Tenho ter a coragem de “largar” as coisas que sei não me fazem bem.
– Quero simplificar e purificar minha vida, que está lotada de coisas que não me deixam satisfeita.
– Quero seguir um caminho de mais consciência e assertividade, sem tantos erros e acertos ao acaso.

Alimentação Desintoxicante 12 de Maio de 2009

Posted by Geraldo Neto in Alimentação, Alimentos Funcionais, Dicas, Obesidade.
add a comment

A cura verdadeira é uma experiência poderosa. Trata-se de um ato de generosidade, de atenção, de amor e também uma vivência espiritual. Quando curamos o corpo, estamos curando a psique e o espírito. Os três são inseparáveis.

Cada um de nós tem algum tipo de dor emocional, física ou espiritual. É por isso que todos necessitam da cura. Para a maioria de nós a dor é a manifestação real do emaranhado tóxico que nos separa do centro de nosso ser, e da origem de nossa energia e força. Esse é o motivo pelo qual nos sentimos como se não tivéssemos combustível ou “energia” suficiente para vivermos. Estamos esgotados, exaustos, suscetíveis, irritados e tristes. Estes sãos os sintomas tópicos de alguém intoxicado:

– Sensação de vazio. Atitude típica: buscar consolo com o tipo errado de comida que são os alimentos gordurosos, os doces e as massas industrializadas e conservadas quimicamente. Ou seja, nos auto-sabotamos e aumentamos a carga de intoxicação.

– Emocional desequilibrado com a sensação de estar fora de controle. Ansiedade, estresse e possibilidade de depressão. Muitos altos e baixos energéticos que não possibilitam “metabolizar” ou lidar positivamente com tantas emoções. Atitude típica: respirar muito mal, oxigenando de forma precária o cérebro, células, órgãos e sistemas. Devido à apatia geral que se instala, fobia por praticar atividade física e atividades de relaxamento corporal/mental.

– Espiritual abandonado, dificuldade de se concentrar e buscar comunicação com uma força superior. Atitude típica: maior exposição e atração (sintonia) pela negatividade do mundo externo, preguiça de ter fé em tudo, ninguém ou nós mesmos, ou seja, aumenta o ceticismo.

Neste contexto, seja pela ingestão, pelo emocional desequilibrado, pela baixa oxigenação e mobilização da energia física ou pela falta de fé, as cargas de intoxicação serão enormes e crescentes.

Aqui vem o raciocínio prático que pode nos ajudar. O que entra deve necessariamente sair, mas, como visto acima, nem sempre é tão simples. Muitas toxinas que entram no corpo, no espírito ou na mente não saem com facilidade. Talvez não as possamos ver, mas isso não significa que não estejam ali. Mesmo invisíveis, as sentimos todos os dias. Como fadiga, doença, raiva, depressão ou estresse. Como dor de cabeça, nas costas, erupções na pele e nervosismo. Elas nos impedem de dormir ou nos fazem dormir demais. Tiram-nos força, resistência e paixão de viver.

É hora de fazermos alguma coisa. É hora de recuperarmos e mantermos nossa energia, regenerarmos nosso corpo, curarmos nossa psique e de reacender o espírito.

Desintoxicar a vida significa ser capaz de encontrar o equilíbrio diariamente, recobrando o espírito e a sensação de frescor em todos os poros.

O segredo para a transformação pessoal começa no nível celular. Trata-se do rejuvenescimento de nossas células. Quando limpamos e reconstruímos nossas células, elas passam a nos transmitir novas mensagens. Novas células têm novos significados, novas estórias para contar. Não seguem a mesma velha programação.

Se você está pronta para mudar suas células velhas e cansadas e encontrar nova energia física, emocional, espiritual e mental, então está pronta para desintoxicar-se.

Não importam quais sejam suas razões. A decisão de se desintoxicar é um ato de coragem. As recompensas são extraordinárias, mas os desafios também o são. O fato de compreender sua motivação desde o início a manterá focalizada, e esse foco lhe dará forças.

Por: Dr. Paulo Edson

Pode alguém ser velho demais para o tratamento? 2 de Maio de 2009

Posted by Geraldo Neto in Impotência, Sinais e Sintomas, Stress.
add a comment

A atitude, e não a idade é a maior barreira para o tratamento da DE. Muitos homens que experimentam dificuldade em produzir uma ereção podem considerar o problema como uma parte natural e inevitável do envelhecimento. Ao invés de procurar tratamento, muitos se resignam com a condição, dando desculpas, tais como: “Estou muito velho” ou “Não estou mais interessado”. Felizmente, existe cada vez mais informação disponível para ajudar o homem de qualquer idade a perceber que existem opções disponíveis para tratar a impotência.

Como o stress leva a dificuldade eretiva?

Antes de afetar a ereção, o stress promove um forte bloqueio na expressão do desejo sexual. Sem tesão e produzindo alterações hormonais à nível cerebral, o stress leva a pessoa a ter dificuldades na ereção, seja na obtenção dela ou em sua sustentação suficiente para um coito satisfatório.

O stress pode ser agudo (ex.: perda abrupta de um ente querido) ou crônico (ex.: excesso de trabalho; falência econômica, instabilidade profissional, etc.).

Quais são as causas de natureza psicológica? 2 de Maio de 2009

Posted by Geraldo Neto in Impotência, Sinais e Sintomas, Stress.
add a comment

No Brasil, essa é a maior causa. Muitos padecem de disfunção erétil (DE) por ansiedade de desempenho, outros por problemas psicológicos mais profundos. De um modo geral, as causas psicológicas incluem:

  • Estresse e ansiedade relativa ao lar ou ao trabalho
  • Preocupação com relação a um fraco desempenho sexual
  • Desavenças maritais
  • Orientação sexual não resolvida
  • depressão

Seja a DE causada por fatores físicos, psicológicos ou uma combinação de ambos, ela pode se tornar uma fonte de estresse físico, emocional e mental. Além disso, a DE também pode ser um sintoma de um problema mais sério, como moléstia cardíaca ou diabetes.

Quais são as causas de natureza física? 2 de Maio de 2009

Posted by Geraldo Neto in Impotência, Stress.
add a comment

Os homens com disfunção erétil de origem física, freqüentemente têm mais de 40 anos e experimentam uma instalação gradual da sua dificuldade de ereção. As causas físicas incluem:

  • Obstruções arteriais
  • diabetes
  • Distúrbios neurológicos
  • Cirurgia e/ou traumatismo pélvicos
  • Efeitos colaterais de medicamentos
  • Doenças crônicas (como insuficiência renal e hepática)
  • Distúrbios hormonais
  • Alcoolismo e abuso de drogas
  • Tabagismo intens

O que causa a Impotência? 2 de Maio de 2009

Posted by Geraldo Neto in Impotência, Stress.
add a comment

A maioria dos homens experimenta, em algum momento de suas vidas, incapacidades ocasionais de ereção, usualmente em razão de fadiga, estresse temporário ou consumo excessivo de álcool. Uma perda temporária da capacidade de ereção não é algo com que se deva preocupar. Entretanto, se esta condição perdura ou interfere com a atividade sexual normal do homem, deve-se buscar aconselhamento médico.

%d bloggers like this: