jump to navigation

A Dieta dos Franceses 21 de Junho de 2009

Posted by Geraldo Neto in Dieta, Obesidade.
add a comment

Dr. Will Clower, autor de “A não-dieta dos  franceses”, lançado recentemente pela editora Campus. O médico neurofisiologista desenvolveu, durante sua estada de dois anos no Institute of Cognitive Science, em Lyon, na França, um plano de 10 etapas para nunca mais fazer dieta e, ainda assim, emagrecer com saúde, como os franceses.

“Descobri que os franceses violam todas as regras alimentares que estipulamos para nós. E, apesar de seus cremes, queijos, manteigas e pães, a taxa de obesidade na França é de apenas 11,3% da população, segundo pesquisa realizada em 2005 pela Internacional Obesity Task Force. O programa de emagrecimento saudável é baseado em quatro grandes princípios básicos: comer alimentos de verdade, aprender a comer, reduzir a quantidade de comida e ser ativo, sem necessariamente se exercitar”, explica no livro.

“Em uma volta pelo supermercado fiquei impressionado com os laticínios.. Onde estavam os produtos lights?”

Segundo o médico, estamos inundados de alimentos artificiais – açúcares sintéticos, gorduras sintéticas e produtos alimentícios artificiais. Falta-nos reaprender o que é comida de verdade, já que é a ingestão dela que proporciona ao corpo a nutrição na forma de que ele necessita. Clower afirma que em vez de estimular a ingestão de novas substâncias químicas para enganar o organismo, o programa mostra porque alimentos de verdade funcionam em favor do corpo.

“Temos que reaprender o que é comida de verdade. Alimentos de verdade são os produtos naturais, que podem ser encontrados em um texto de biologia e que normalmente fazem parte da cadeia alimentar. Refrigerantes não dão em árvore, margarina é uma invenção, e os corantes, conservantes e estabilizantes que aumentam a vida do produto não foram feitos para o nosso corpo”, defende.

Em sua observação dos costumes alimentares franceses, o médico descobriu que os franceses não comem alimentos processados, não evitam gorduras, chocolates e nem carboidratos, não tomam suplementos alimentares, não se abstêm do vinho no almoço e no jantar e não comem com pressa. Ao adotar os hábitos franceses, ele e a mulher emagreceram onze e cinco quilos, respectivamente.

– Em uma volta pelo supermercado fiquei impressionado com os laticínios – fileiras e fileiras de queijos, uma geladeira inteira só pra iogurtes e queijos frescos. Onde estavam os produtos lights?

Entre outras dicas, Clower prescreve uma limpa na despensa e na geladeira, com o auxílio de  que se deve ter em casa, fala sobre os benefícios da cerveja e do vinho, com moderação, é claro, da importância de se passar mais tempo à mesa, usufruindo do sabor da comida e de como isso auxilia a diminuir o tamanho das porções, e da necessidade de se manter ativo.

Os resultados, garante ele, surgem em seguida.

Plano de 10 etapas para nunca mais fazer dieta!!!!

1 – Comer devagar. Comer muito rápido faz comer mais. O estômago demora cerca de 20 minutos para mandar um sinal para o cérebro. Comendo devagar, o cérebro tem tempo de receber a mensagem de que seu corpo está satisfeito.

2 – Garfadas menores.. O paladar está na superfície da língua. Se a sua boca está cheia de comida, você nem sente o gosto.

3 – Concentre-se na comida. Comer em frente à TV ou no carro faz o momento se tornar irrelevante. A falta de atenção faz com que se coma demais.

4 – Apóie o garfo no prato. Se ainda tem comida na sua boca, coloque o garfo no prato. Não o encha novamente até que tenha engolido.

5 – Sirva a comida em pratos pequenos.. Isso resolve dois problemas de uma só vez: o de lavar a louça e o fato de você comer com os olhos.

6 – Comida sem gordura engorda. Comidas sem gordura não satisfazem e contêm mais açúcares.

7 – Se não for comida, não coma. Nosso corpo sabe o que é comida de verdade: carnes, frutas, verduras. Invenções como coca-cola causam problemas de saúde e de sobrepeso.

8 – Coma em etapas. Coma a salada primeiro. Isso ajuda a ganhar tempo à mesa e previne que você coma rápido e em grande quantidade.

9 – Gordura é necessária na dieta. Seu corpo e cérebro necessitam de gordura para serem saudáveis. Você come uma quantia normal de gordura quando come alimentos de verdade, como manteiga, azeite, ovos, castanhas e queijos.

10 – Alta qualidade da comida leva a comer menos quantidade. 

 
Alimentos que se deve ter em casa

Peixes (salmão, sardinha, atum)
Grãos (granola, aveia, arroz)
Hortaliças (feijões, cebola, batata, abóbora, tomate)
Óleos e vinagres (azeite de oliva, óleo 100% vegetal, vinagre)
Produtos de padaria (farinha, ervas, temperos, açúcar branco ou mascavo, pimenta, sal)
Lanches (frutas desidratadas, biscoitos não-hidrogenados, nozes, azeitona)
Condimentos (mostarda, maionese de verdade)
Lacticínios (manteiga, queijo, ovos, leite, iogurte)
Bebidas (café, cerveja, suco de fruta, chá, água, vinho) 

Melancia tão poderosa quanto Viagra 6 de Junho de 2009

Posted by Geraldo Neto in Alimentação, Alimentos Funcionais, Dicas, Impotência, Qualidade de Vida.
2 comments

Cientistas da cidade de Lubbock, no Texas, afirmam que uma fatia de melancia é uma maneira suculenta de se manter o “fogo” de um homem, isto é, tem efeito similar ao Viagra, porém não necessariamente durante a noite inteira.

Melancia

A melancia contém um ingrediente chamado citrolina que pode provocar a produção de um composto que ajuda a relaxar os vasos sangüíneos do corpo, “similar ao que acontece quando um homem toma Viagra”, disseram eles. Os pesquisadores fazem parte do grupo de um dos maiores produtores da variedade de melancia sem sementes.
A citrolina é encontrada na carne e na casca da fruta, que quando consumida em grandes quantidades, as enzimas do nosso corpo a transforma em outro ácido, a  arginina. Um ácido que beneficia o coração e os sistemas circulatório e de defesa.
A arginina impulsiona o óxido nítrico, que relaxa os vasos sangüíneos, o mesmo efeito básico que o Viagra tem para tratar a deficiência orgânica que impede a ereção. “A melancia pode não ser tão específica quanto o Viagra, mas é uma grande maneira de relaxar os vasos sangüíneos sem nenhum dos efeitos colaterais da droga”, afirmam os cientistas.
O óxido nítrico pode igualmente ajudar nos tratamentos de angina, hipertensão e outros problemas cardiovasculares, de acordo com  estudos feitos pelo Ministério da Agricultura dos Estados Unidos.

A citrolina, aproximadamente 60%, é encontrada mais na casca da melancia do que na carne, mas eles estão tentando encontrar maneiras de mudar essas concentrações. O outro problema é a quantidade de açúcar que o consumo de muita melancia deixaria na circulação sanguínea, o que seria uma das restrições em seu uso.
Outra pesquisa que farão no futuro é em como reduzir o índice do açúcar na melancia.
Todas as variedades de melancia têm a citrolina, porém a mais elevada é no tipo que eles chamam “yellow fleshed”, traduzindo isso para o nosso idioma, nada mais é do que a melancia comum.
Porém eles fazem uma advertência: precisaria comer aproximadamente seis fatias de melancia para se conseguir bastante citrolina e impulsionar o nível da arginina do corpo.
“O problema é que quando você come muita melancia a tendência é ir mais vezes ao banheiro, ” disse Perkins-Veazie, um dos pesquisadores.
A melancia foi um diurético muito usado homeopaticamente para tratamento em  pacientes com problemas do rim, antes que a diálise se tornasse difundida.
O relacionamento entre a citrolina e a arginina pôde igualmente provar que são úteis para pacientes obesos ou diabéticos do tipo 2. Esses efeitos benéficos, entre eles a habilidade de relaxar o vasos sanguíneos, como Viagra,  estão começando a ser revelados na pesquisa.
A citrolina está em outras frutas e legumes como o pepino e o melão do tipo cantaloupe, a níveis muito baixos, e na proteína do leite. As concentrações mais elevadas de citrolina são encontradas nos brotos da noz “mas são amargos e a maioria das pessoas não querem comê-las, ” disseram os pesquisadores.

%d bloggers like this: