jump to navigation

Doença da tireóide afetam 15% das mulheres brasileiras 9 de Maio de 2010

Posted by Geraldo Neto in Alimentação, Depressão, Dicas, Dieta, Mitos e Verdades, Qualidade de Vida, Sinais e Sintomas, Stress.
add a comment

O sexo feminino é mais atingido que o masculino na proposição de 7:1, em nosso meio.

O hipotireoidismo atinge de 2 a 5 % da população adulta e está se convertendo na doença prevalente das disfunções. Caracterizam-no aumento de peso, pele seca, depressão, alterações menstruais, unhas quebradiças, sensação de frio, entre outros sintomas.

Distúrbio de fabricação de hormônios produzidos pela tireóide, são conhecidos como hipotireoidismo ou hipertireodismo.

A Glândula Tireóide, glândula de secreção interna, produz hormônios tireoidianos, que vão exercer sua ação nas células da periferia. Quando há excesso em circulação o quadro clínico é denominado de hipertireoidismo; quando há falta o mesmo se designa de hipotireoidismo. Já o hipertireoidismo, menos freqüente, se caracteriza por emagrecimento, tremores, sudorese aumentada e por vezes, sinais oculares.

O diagnóstico é feito por avaliação clínica e por dosagens periféricas dos hormônios tireoidianos, dosagem de anticorpos e do hormônio tireoestimulante hipofisário.

Para o Prof. Dr. Alberto Ferraz, cirurgião de cabeça e pescoço explica que a doença pode ser mais comum entre os brasileiros. “Precisamos mencionar que 4 a 7% da população brasileira apresenta nódulos na tireóide, mesmo sem quadro clínico de disfunção. Estes números tendem a crescer, a medida que se aperfeiçoam os meios diagnósticos. O tratamento do hipertireoidismo poderá ser cirúrgico, clínico ou com iodo radioativo.

Todos eles tem seus defensores mas, a meu ver, o cirúrgico é o que apresenta melhores resultados a curto e longo prazos.

O hipotireoidismo geralmente é de alçada clínica; será cirúrgico somente se a tireóide causar compressão de vias aero-digestivas. O mesmo é feito com hormônio tireoidiano administrado por via oral”, conta o Prof. Ferraz.

Quanto à detecção de nódulos na tireóide há inúmeros aspectos atuais a serem comentados: o emprego sistemático da ultrassonografia com Doppler, o emprego quase rotineiro da biópsia aspirativa por agulha fina, a utilização do Pet-Scan em casos selecionados. Feito no sentido de estabelecer diagnósticos que vão do benigno ao maligno, contemplando esses métodos um dos princípios básicos da medicina: a prevenção.

Nenhum exame deverá ser realizado sem que antes se proceda a uma consulta médica adequada. Recomenda-se uma dieta equilibrada em iodo, atividade física regular, ausência de stress, e consultas médicas periódicas, especialmente nas pessoas que tem, em seu histórico, antecedentes familiares de tireoidopatias.

Fonte: ADJORI

Anúncios

Os aminoácidos essenciais de nossa alimentação 9 de Maio de 2010

Posted by Geraldo Neto in Alimentação, Dicas, Dieta, Mitos e Verdades, Ortomolecular, Qualidade de Vida, Sinais e Sintomas, Stress.
add a comment

Isoleucina: levedura de cerveja, leite em pó desnatado, queijos duros, aves, salmão, carne.

Leucina: leite em pó desnatado, levedura de cerveja, legumes desidratados, fígado, clara de ovo.

Lisina: leite em pó desnatado, levedura de cerveja, legumes desidratados, fígado, carne.

Metionina: peixes do mar, clara de ovo, aves, levedura de cerveja, leite em pó desnatado.

Fenilalanina: farinha de soja, levedura de cerveja, sementes de cereais, leite em pó desnatado, queijos, aves.

Treonina: levedura de cerveja, leite desnatado, queijos, salmão, carne.

Triptofano: levedura de cerveja, leite desnatado, fígado, aves, carnes, clara de ovo.

Valina: levedura de cerveja, leite desnatado, legumes desidratados, queijos, aves, carne.

Por: Prof. Paulo Edson da Silva Neto

Stress e Depressão 22 de Novembro de 2009

Posted by Geraldo Neto in Alimentação, Atividade Físicas, Depressão, Dicas, Dieta, Hipertensão, Obesidade, Qualidade de Vida, Sinais e Sintomas, Stress.
add a comment

Todos nós lidamos com o stress na sociedade de hoje, um fato simples e perceptível. Todos sabem que o stress pode provocar muitas doença e até mesmo a morte, se os níveis de stress não forem mantidos sob controle.

Os sintomas mais comuns de stress são indigestão, azia, dor de estômago, hiperventilação, insônia, dores de cabeça, fadiga, diminuição do apetite, raiva, diminuiu a paciência, e de tristeza. Estes sintomas podem também ser sinais de depressão.

Se você tem vários destes sintomas por mais de alguns dias, você deve consultar um profissional de Saúde.

A forma geral de lidar com o stress é permanecer ativo: praticar esportes, fazer uma caminhada.

O ideal é dormir oito horas de sono por dia e beber muita água.

Fazer uma dieta equilibrada regular e um programa de exercícios regulares é outra maneira de diminuir o seu nível de stress e também ajuda a mantê-lo saudável.

 

 

 

Mudança de hábito 26 de Julho de 2009

Posted by Geraldo Neto in Alimentação, Alimentos Funcionais, Dicas, Dieta.
add a comment

Muitas pessoas não suportam bem a mudança para pão integral e produtos de farinha integral — por causa do açúcar industrializado. Estudos mostram que, ao passar para produtos integrais, os alimentos contendo açúcar refinado provocam indisposição. O açúcar refinado pode provocar mal-estar abdominal, sensação de peso, gases e até dores. Por isso, só podemos mudar a alimentação retirando o açúcar refinado no momento em que passamos para cereais integrais.

Para garantir a presença dos elementos vitais necessários, como vitaminas e enzimas, a comida precisa conter uma boa porção de frutas frescas e hortaliças não aquecidas. Também é preciso evitar as gorduras refinadas e voltar para as naturais, como a manteiga ou os óleos extraídos a frio.

Se as pessoas seguissem estes poucos princípios, dentro de 30 ou 40 anos as doenças teriam diminuído consideravelmente.

Por: Dr. Paulo Edson

A Dieta dos Franceses 21 de Junho de 2009

Posted by Geraldo Neto in Dieta, Obesidade.
add a comment

Dr. Will Clower, autor de “A não-dieta dos  franceses”, lançado recentemente pela editora Campus. O médico neurofisiologista desenvolveu, durante sua estada de dois anos no Institute of Cognitive Science, em Lyon, na França, um plano de 10 etapas para nunca mais fazer dieta e, ainda assim, emagrecer com saúde, como os franceses.

“Descobri que os franceses violam todas as regras alimentares que estipulamos para nós. E, apesar de seus cremes, queijos, manteigas e pães, a taxa de obesidade na França é de apenas 11,3% da população, segundo pesquisa realizada em 2005 pela Internacional Obesity Task Force. O programa de emagrecimento saudável é baseado em quatro grandes princípios básicos: comer alimentos de verdade, aprender a comer, reduzir a quantidade de comida e ser ativo, sem necessariamente se exercitar”, explica no livro.

“Em uma volta pelo supermercado fiquei impressionado com os laticínios.. Onde estavam os produtos lights?”

Segundo o médico, estamos inundados de alimentos artificiais – açúcares sintéticos, gorduras sintéticas e produtos alimentícios artificiais. Falta-nos reaprender o que é comida de verdade, já que é a ingestão dela que proporciona ao corpo a nutrição na forma de que ele necessita. Clower afirma que em vez de estimular a ingestão de novas substâncias químicas para enganar o organismo, o programa mostra porque alimentos de verdade funcionam em favor do corpo.

“Temos que reaprender o que é comida de verdade. Alimentos de verdade são os produtos naturais, que podem ser encontrados em um texto de biologia e que normalmente fazem parte da cadeia alimentar. Refrigerantes não dão em árvore, margarina é uma invenção, e os corantes, conservantes e estabilizantes que aumentam a vida do produto não foram feitos para o nosso corpo”, defende.

Em sua observação dos costumes alimentares franceses, o médico descobriu que os franceses não comem alimentos processados, não evitam gorduras, chocolates e nem carboidratos, não tomam suplementos alimentares, não se abstêm do vinho no almoço e no jantar e não comem com pressa. Ao adotar os hábitos franceses, ele e a mulher emagreceram onze e cinco quilos, respectivamente.

– Em uma volta pelo supermercado fiquei impressionado com os laticínios – fileiras e fileiras de queijos, uma geladeira inteira só pra iogurtes e queijos frescos. Onde estavam os produtos lights?

Entre outras dicas, Clower prescreve uma limpa na despensa e na geladeira, com o auxílio de  que se deve ter em casa, fala sobre os benefícios da cerveja e do vinho, com moderação, é claro, da importância de se passar mais tempo à mesa, usufruindo do sabor da comida e de como isso auxilia a diminuir o tamanho das porções, e da necessidade de se manter ativo.

Os resultados, garante ele, surgem em seguida.

Plano de 10 etapas para nunca mais fazer dieta!!!!

1 – Comer devagar. Comer muito rápido faz comer mais. O estômago demora cerca de 20 minutos para mandar um sinal para o cérebro. Comendo devagar, o cérebro tem tempo de receber a mensagem de que seu corpo está satisfeito.

2 – Garfadas menores.. O paladar está na superfície da língua. Se a sua boca está cheia de comida, você nem sente o gosto.

3 – Concentre-se na comida. Comer em frente à TV ou no carro faz o momento se tornar irrelevante. A falta de atenção faz com que se coma demais.

4 – Apóie o garfo no prato. Se ainda tem comida na sua boca, coloque o garfo no prato. Não o encha novamente até que tenha engolido.

5 – Sirva a comida em pratos pequenos.. Isso resolve dois problemas de uma só vez: o de lavar a louça e o fato de você comer com os olhos.

6 – Comida sem gordura engorda. Comidas sem gordura não satisfazem e contêm mais açúcares.

7 – Se não for comida, não coma. Nosso corpo sabe o que é comida de verdade: carnes, frutas, verduras. Invenções como coca-cola causam problemas de saúde e de sobrepeso.

8 – Coma em etapas. Coma a salada primeiro. Isso ajuda a ganhar tempo à mesa e previne que você coma rápido e em grande quantidade.

9 – Gordura é necessária na dieta. Seu corpo e cérebro necessitam de gordura para serem saudáveis. Você come uma quantia normal de gordura quando come alimentos de verdade, como manteiga, azeite, ovos, castanhas e queijos.

10 – Alta qualidade da comida leva a comer menos quantidade. 

 
Alimentos que se deve ter em casa

Peixes (salmão, sardinha, atum)
Grãos (granola, aveia, arroz)
Hortaliças (feijões, cebola, batata, abóbora, tomate)
Óleos e vinagres (azeite de oliva, óleo 100% vegetal, vinagre)
Produtos de padaria (farinha, ervas, temperos, açúcar branco ou mascavo, pimenta, sal)
Lanches (frutas desidratadas, biscoitos não-hidrogenados, nozes, azeitona)
Condimentos (mostarda, maionese de verdade)
Lacticínios (manteiga, queijo, ovos, leite, iogurte)
Bebidas (café, cerveja, suco de fruta, chá, água, vinho) 

%d bloggers like this: